Notícias

Etanol sobe,mas o biocombustível permaneceu mais competitivo economicamente que a gasolina

23/10/2018

Os preços do etanol hidratado (usado diretamente nos tanques dos veículos) subiram em 17 Estados e no Distrito Federal (DF) na semana passada, mas o biocombustível permaneceu mais competitivo economicamente que a gasolina em oito unidades federativas, conforme levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no período encerrado no dia 20. Em sete Estados houve queda de preços do etanol, e no Amapá não foi feita pesquisa.

O etanol tem ficado mais caro para os motoristas porque a gasolina também tem registrado o mesmo movimento, puxado pela alta do petróleo no mercado internacional, mas, com isso, a diferença do preço do biocombustível ante o do combustível fóssil ainda apresenta folga.

Em Goiás, por exemplo, o etanol subiu 4,13% na semana passada ante a semana anterior e ficou em R$ 3,098 o litro. Mesmo com essa alta expressiva, o preço médio ficou em 62,6% do valor da gasolina – ainda distante de 70%, patamar a partir do qual a gasolina fica mais competitiva economicamente.

Em São Paulo, maior polo consumidor, o litro do etanol subiu 0,8%, para R$ 2,768, e ficou em 61,3% do preço médio da gasolina.

O etanol também está economicamente mais vantajoso do que o combustível fóssil no Distrito Federal, em Mato Grosso, em Minas Gerais, na Paraíba, no Paraná, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Fonte: Minaspetro

Etanol: Venda total sobe 17,11% em setembro; mercado interno cresce 18%

16/10/2018

O volume total de etanol comercializado pelas usinas do Centro-Sul nos mercados interno e externo em setembro somou 2,732 bilhões de litros, em comparação com 2,333 bilhões de litros em igual mês de 2017, avanço de 17,11%. O volume acumulado total do combustível vendido às distribuidoras e exportado chegou a 14,915 bilhões de litros em seis meses da safra 2018/2019, iniciada em 1º abril, alta de 15,96% ante os 12,862 bilhões de litros de igual período de 2017/2018.

O volume total de etanol vendido pelas usinas às distribuidoras no mercado doméstico no Centro-Sul atingiu 2,567 bilhões de litros em setembro e acumula 14,057 bilhões de litros na safra 2018/2019. Os volumes representam altas de 18% em relação ao total de 2,175 bilhões de litros vendidos em setembro de 2017 e de 17,7% sobre o volume acumulado comercializado até igual período da safra 2017/2018 no mercado interno, de 11,942 bilhões de litros, informou a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). As vendas de etanol hidratado combustível avançaram 38,07% no mês passado sobre o mesmo período de 2017, de 1,433 bilhão para 1,978 bilhões de litros. Com o resultado, as vendas totais de hidratado na safra têm alta de 37,9% entre os períodos, para 10,266 bilhões de litros. As vendas de anidro recuaram 16,26% se comparadas os mesmos meses de 2017 e 2018, para 753,34 milhões de litros e caem 14,20% no acumulado da safra, para 4,649 bilhões de litros. A exportação total de etanol foi de 164,94 milhões de litros em setembro, alta de 4,96% em comparação com os 157,14 milhões de litros enviados ao exterior em igual período do ano passado. No acumulado da safra 2018/2019, as exportações totais de etanol recuaram 6,76%, para 858,16 milhões de litros, ante 920,35 milhões de litros em igual período de 2017/2018 (Broadcast, 10/10/18) Fonte: Broadcast*

Subvenção para reduzir preço do óleo diesel vira lei

10/10/2018

A Medida Provisória (MP) 838/18, que garante a subvenção para venda e importação de óleo diesel foi transformada em lei pelo governo na última semana. A Lei 13.723/18 foi publicada na sexta-feira (5) no Diário Oficial da União com vetos sobre a coleta de informações sobre a formação de preços praticada por agentes de mercado.

Segundo informações da Agência Câmara Notícias, o total de recursos destinados à subvenção será de R$ 9,5 bilhões e ela será limitada a R$ 0,30 por litro do combustível. O benefício vale até 31 de dezembro de 2018. Caberá à ANP estabelecer um preço de referência (vinculado ao preço real na refinaria) e um preço de comercialização para as distribuidoras de forma regionalizada.

Mesmo com a subvenção garantida em lei, o preço do combustível pode sofrer novos reajustes. A lei apenas irá garantir um desconto pago com recursos do Orçamento federal para manter o compromisso de redução de R$ 0,46 nas bombas dos postos.

Todo mês também serão acrescentados ao preço de referência os valores de PIS/Pasep e Cofins, incidentes sobre a receita da subvenção econômica, apurados no período mensal anterior.

Se ao final do ano houver crédito para a União em razão da sistemática de cálculo, os beneficiários terão 15 dias úteis para recolher os valores ao governo.

O texto prevê ainda que, se o dinheiro para a subvenção acabar antes de 31 de dezembro, o programa de subsídios também será encerrado.

*Extraída do site UDOP  Fonte: Portal Universoagro*

Circular mostra a incoerência dos Sindicatos Profissionais na recusa em assinar a CCT

10/10/2018

A CCT 2017-2018 vem ganhando cada vez mais destaque entre revendedores e funcionários. O Minapetro vem, novamente, esclarecer que está fazendo de tudo para que as negociações terminem o quanto antes. É de suma importância reiterar que o Minaspetro segue aguardando as assinaturas das CCT’s acordadas há mais de um mês, em audiência ocorrida no dia 4 de setembro. As  CCT’s foram enviadas no dia 12 de setembro, mas até agora não houve retorno.

A circular nº 34/10/2018 está disponível para leitura no site do Minaspetro. O acesso pode ser feito clicando aqui ou na seção de “Serviços>Circulares”.

O Departamento Jurídico Trabalhista do Sindicato recomenda a leitura do documento, na íntegra, para melhor entendimento sobre o tema.

Fonte: ASCOM Minaspetro

Deseja Um Atendimento

Por Telefone?

Preencha os dados no formulário

ao lado que ligamos pra você!