Notícias

Volkswagen anuncia plano de US$50 bi para veículos elétricos

21/11/2018

A Volkswagen espera se tornar a mais lucrativa fabricante de veículos elétricos graças a um plano multibilionário de expansão rumo à produção em massa de carros movidos com baterias elétricas, disse o presidente-executivo da companhia, Herbert Diess, nesta sexta-feira.

A VW espera investir quase 44 bilhões de euros (50 bilhões de dólares) no desenvolvimento de carros elétricos e autônomos e em novos serviços de mobilidade até 2023, além de explorar outras áreas de cooperação com a norte-americana Ford.

Entretanto Diess afirmou que espera chegar a um acordo geral sobre a cooperação com a Ford até o final do ano, com foco inicial em veículos comerciais.

Ele adicionou que uma fusão com a Ford não está na agenda, e disse também que não há planos para comprar uma fatia na fabricante dos EUA.

A produção em massa de veículos elétricos ajudaria a fabricante a reduzir os custos para o mesmo nível de preços atualmente praticados para veículos a diesel, disse Diess em uma coletiva de imprensa em Wolfsburgo, cidade sede da VW.

“Contudo são veículos apaixonantes, (com) elevadas economias de escala. Eu acredito que nós seremos a mais lucrativa companhia de carros elétricos”, disse Diess, ao responder a perguntas de jornalistas.

O comitê de supervisão da maior fabricante de carros da Europa aprovou amplos planos de investimento para início da produção em massa de veículos elétricos na Europa, na maior mudança estratégica da companhia desde um escândalo gerado pela manipulação de testes de emissões de automóveis movidos a diesel em 2015.

A Volkswagen vai reequipar três de suas fábricas na Alemanha para construir carros elétricos e para explorar alianças com parceiros do setor de baterias e com fabricantes rivais de veículos.

Fonte:http://www.brasilagro.com.br/

Roberto Castello Branco o novo futuro presidente da Petrobras

20/11/2018

Ex-membro do conselho administrativo da Petrobras, o economista Roberto Castello Branco deve voltar à empresa como presidente no ano que vem, por indicação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“Guedes recomendou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, a indicação para a presidência da Petrobras de Roberto Castello Branco, que aceitou o convite”, afirma nota divulgada por Guedes. “O atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, permanece no comando da estatal até a nomeação do novo presidente”, acrescenta o informe.

Crítico à intervenção do Estado na economica, Castello Branco é defensor da privatização não só da Petrobras, mas de outras empresas estatais .

Em junho deste ano, após a demissão de Pedro Parente da presidência da petroleira durante a greve dos caminhoneiros, Castello Branco escreveu um artigo no jornal Folha de S.Paulo defendendo que “é inaceitável manter centenas de bilhões de dólares alocados a empresas estatais em atividades que podem ser desempenhadas pela iniciativa privada.”

O economista se tornou como membro do conselho administrativo da Petrobras em 2015, por indicação da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), mas ficou pouco tempo, saindo em 2016.

Atualmente, Castello Branco é diretor do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da FGV (Fundação Getúlio Vargas), onde tem doutorado. Seu pós-doutorado foi feito na Universidade de Chicago, nos EUA, entre 1977 e 1978, com apoio de bolsa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Fonte:https://g1.globo.com/economia/noticia/

Gasolina cai, mas álcool ainda é mais vantajoso

14/11/2018

A Petrobras anunciou o sexto corte consecutivo no preço da gasolina nas refinarias.

Só na região metropolitana de Belo Horizonte, o consumidor já sentiu um recuo de R$ 0,06 nas últimas semanas, de acordo com levantamento feito pelo site de pesquisas Mercado Mineiro. Entretanto, o alívio poderia ter sido muito maior, se o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não tivesse sofrido uma alteração.

A alíquota é de 31%, mas o preço médio sobre o qual ela incide subiu de R$ 4,87 para R$ 5,09. No fim das contas, o ajuste no imposto gerou um aumento de R$ 0,06 no preço final.

Com o aumento tributário indo de encontro ao recuo do preço, o motorista Hugo Oliveira diz que não sentiu nenhuma grande diferença. “Não vi diminuição no preço da gasolina, ainda estou optando pelo álcool que compensa mais”, disse. O bancário aposentado Aristides Antônio da Silva também não percebeu que o combustível ficou mais barato.

“Muito pelo contrário, e o pior é que agora nem posso mais abastecer com álcool. Peguei agora o carro na oficina e disseram que ele está morrendo direto por conta do álcool. Agora é o bolso que sofre” conta.

Apesar de baixa, a redução aconteceu. Em comparação realizada entre os preços do dia 21 de outubro de 2018 a gasolina comum, que custava R$ 4,88, caiu para R$ 4,82. A queda de R$ 0,06 é equivalente a 1,15%. Entre os postos, a variação chega a 13,7%. O litro custa de R$ 4,65 e R$ 5,29.

Já o preço do etanol teve uma queda de 0,61%, após ter subido 7,32% no mês passado.

O preço médio caiu de R$ 3,09 para R$ 3,07, mas ainda está vantajoso, pois está custando cerca de 64% do valor da gasolina.

Na fila do posto, a pedagoga Elza Mendes disse que nem cogita mais abastecer com gasolina. “Vou sempre pelo álcool que está bem mais barato”, disse. Para o militar aposentado Antônio Luiz, o etanol também tem sido a melhor escolha. “Se a gasolina diminuiu, não chegou no meu bolso. Agora mesmo vou abastecer com álcool”, disse Luiz.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), Carlos Guimarães, lembra que o governo de Minas Gerais desconsidera o contexto econômico pelo qual a população está passando. “Os consumidores terão que suportar mais um reajuste de ICMS. Para efeito de comparação, em janeiro deste ano os mineiros pagavam cerca de R$ 1,37 de imposto, por litro. Agora, estão pagando R$ 1,58. São R$ 0,21 a mais”, reclama.

Fonte: http://minaspetro.com.br/

Startup cria combustível à base de água para veículos elétricos

12/11/2018

A startup australiano-israelense ElectriqGlobal apresentou na última semana, em Tel Aviv, Israel, uma nova tecnologia capaz de gerar combustíveis para carros carros elétricos a partir da água.

A empresa disse que seu combustível à base de água é “altamente eficiente, seguro” e pode ser usado para alimentar veículos elétricos sem emitir gases poluentes. A tecnologia, chamada de “revolucionária” pela Electriq~Global, extrai hidrogênio da água, utilizando-o para gerar a eletricidade que alimenta os veículos.

O sistema desenvolvido contém três elementos principais: a água, uma substância química chamada Tetraidrobiopterina (BH4), e uma camada de metal – um catalisador desenvolvido pela empresa – que aciona a produção de hidrogênio a partir da mistura.

“Criamos um novo tipo de combustível baseado em água”, disse o CEO Guy Michrowski ao jornal The Times of  Israel. “É seguro, não inflamável e fácil de usar e transportar.”

As empresas que atuam no ramo de energia renovável, como a Tesla, atualmente utilizam baterias de íons de lítio para abastecer os carros, ou tecnologias de hidrogênio comprimido – considerado de custo alto para armazenamento e transporte – para veículos maiores, como ônibus, caminhões, trens e barcos.

De acordo com a startup, sua tecnologia atinge o dobro do alcance de carros elétricos pela metade do custo. Em seu site oficial, a EletriqGlobal compara o alcance de seu combustível com o de outras empresas. A bateria de lítio de um Tesla Model-S 2018 e o hidrogênio comprimido de um Toyota Mirai 2018 têm alcance de 500 km, enquanto os veículos da EletriqGlobal teriam um alcance de 1.000 km, podendo ser reabastecidos em cinco minutos.Fonte: https://exame.abril.com.br/

Deseja Um Atendimento

Por Telefone?

Preencha os dados no formulário

ao lado que ligamos pra você!